Saiba quais são os cuidados pós-alisamento

Especialista esclarece algumas dúvidas sobre as principais técnicas

Prancha sem proteção térmica é um dos vilões do alisamento

O alisamento de cabelo anda fazendo a cabeça da mulherada e ganhou várias adeptas pelo mundo.

Com tantos produtos e novos métodos existentes no mercado fica difícil escolher o que fazer para ter as madeixas lisas e saudáveis.

As técnicas são várias, porém, apenas algumas delas são mais usadas e seguras. Por se tratar de um processo químico que pode prejudicar os fios, é necessário tomar o máximo de cuidado para não sofrer com misturas perigosas.

Para manter a saúde e a beleza dos cabelos, é importante conhecer mais detalhadamente os principais métodos e os cuidados para prevenir futuros problemas.

Em conversa com o Portal da Band, Claudia Soares, do salão i9 Hair, esclareceu algumas dúvidas sobre o assunto.

Segundo a hairstylist, os principais vilões do alisamento são a “falta de tratamento, prancha sem proteção térmica e uso de produtos inadequados”.

Confira a seguir a entrevista com a profissional:

Quais são os principais métodos de alisamentos?

Hidróxido de guanidina: usado em cabelos com coloração oxidativa ou em cabelos virgens. A força do produto vai depender da espessura, resistência e porosidade do fio. Pode-se somente relaxar ou se for desejo da cliente e o profissional achar possível alisar completamente. Existem no Brasil seis forças possíveis.

Hidróxido de sódio: usado em cabelos virgens ou cabelos anteriormente processado com outro hidróxido. Tem uma ação mais rápida que a guanidina.

Amônia: só é compatível com cabelos processados anteriormente por amônia. Não é recomendado o uso em cabelos negócios (muito crespos). Por não poder encostar o produto no couro cabeludo, não se obtém um alisamento ou relaxamento perfeito.

Progressiva de carbocisteina: indicado para todos os tipos de cabelo. Existe a necessidade de observar cabelos que contem coloração, dependendo do estado do fio pode causar desbotamento de até três tons e em cabelos com reflexo pode amarelar.

Progressiva com fenoxietanol e ácido lático: assim como a carbocisteina, age na parte interna da cutícula e externa do córtex. Promovem alisamento de até 100% e não causa desbotamento e nem amarelamento nos fios.

Para quais tipos de cabelo são indicados cada um deles?

Guanidina: cabelos ondulados, encaracolados ou crespos.

Sódio: cabelos ondulados, encaracolados ou crespos.

Amônia: cabelos ondulados ou encaracolados. Jamais nos crespos

Carbocisteina: cabelos ondulados ou encaracolados e sem alisamentos anterior.

Fenoxietanol e ácido lático: compatível com qualquer tipo de cabelo ou procedimento químico, menos coloração metálicas ou hennê.

Quais são os cuidados pós-alisamento?

Shampoo e condicionador adequados, preferencialmente da mesma marca do produto para alisar, máscara uma vez por semana em casa. Tratamento especifico no salão para cada necessidade dos fios e leave-in.

Por que algumas pessoas perdem fios após algum tipo de alisamento? Por que isso ocorre?

Pode ser por incompatibilidade química, ou seja, usar uma química sobre outra sem que exista compatibilidade entre as duas, pode também ter sido feito um diagnóstico errado antes do alisamento e ter sido usado em produto mais forte que o necessário, causando quebra de fios.

Quanto tempo dura em média um alisamento?

Com exceção dos alisamentos temporários (algumas progressivas), o cabelo não “volta”, ou seja, dura para sempre, sendo preciso somente retocar a raiz.

Depois de quanto tempo de alisamento pode usar tintura nos fios?

Recomenda-se uma pausa de 15 dias, mas se o cabelo estiver bem saudável pode ser feito em uma semana

FONTE: http://www.band.com.br/viva-bem/beleza/