A adenomiose é o mesmo que a endometriose?! Posso engravidar?

A adenomiose é uma endometriose interna, ou seja, fica na musculatura uterina, o que faz com que o útero aumente de volume e, consequentemente, também causa um aumento do fluxo menstrual e das cólicas.

 A adenomiose acaba dificultando a implantação do óvulo fecundado no útero e aumentando o risco de abortamento, por isso pode causar dificuldades para engravidar. Mas a adenomiose não impede que você engravide.

 A adenomiose ocorre tipicamente em mulheres entre 35 e 50 anos, possivelmente porque nesta faixa etária as mulheres têm excesso do hormônio estrógeno. Perto dos 35 anos, as mulheres geralmente diminuem a produção de progesterona, o que desequilibra os efeitos do estrógeno. Após os 50 anos, devido à menopausa, as mulheres não produzem tanto estrógeno.

O diagnóstico não cirúrgico pode ser feito com ultrassom e ressonância magnética.

Causas

A causa da adenomiose é desconhecida, embora possa estar associada a algum trauma uterino que possa ter rompido a barreira entre o endométrio e o miométrio, o que pode ocorrer, por exemplo, em razão de gravidez, operação cesariana ou ligadura de trompas.

Tratamento

As opções de tratamento incluem o uso de antinflamatórios não-esteróides e a supressão hormonal (suspensão da menstruação), para alívio dos sintomas. Também pode ser usada, como método para aliviar os sintomas, a ablação endometrial, que é um procedimento cirúrgico histeroscópico, em que é feito a remoção ou destruição do endométrio em toda a sua espessura e extensão, poupando apenas o epitélio da região ístmica, para evitar a formação de sinéquias, mas apenas afeta a superfície do tecido endometrial e não o tecido que cresceu por dentro do músculo. Este tecido remanescente ainda continuaria a causar dor. A histerectomia é a única opção de cura permanente.

Prognóstico

Não há aumento de risco de desenvolvimento de câncer. Como a adenomiose é estrógeno-dependente, a menopausa representa a cura na