Pólipos Endometriais ou Uterinos

Os pólipos endometriais são lesões benignas, com baixo potencial de malignização.

 No período reprodutivo seu diagnóstico é obtido nas pacientes sintomáticas, com sangramento uterino anormal ou infertilidade. Na pós-menopausa em sua maioria são assintomáticos, podendo estar associados a sangramento anormal em torno de um terço dos casos. São mais freqüentes na pós-menopausa, pico etário de incidência está situado entre os 40 e 50 anos.
Seu diagnóstico definitivo é realizado pelo exame histológico com amostra obtida de maneira mais eficiente por biópsia dirigida por meio da histeroscopia, assim como seu tratamento mais efetivo é a ressecção histeroscópica. Pólipos podem apresentar recorrência após tratamento. A polipectomia é altamente satisfatória na pós-menopausa, tem menor taxa de sucesso em mulheres sintomáticas no período reprodutivo e melhora as taxas de fertilidade em mulheres inférteis

Causas dos pólipos endometriais ou uterinos

Não é conhecida nenhuma causa definitiva para os pólipos endometriais ou uterinos, mas eles parecem ser afetados pelos níveis hormonais e crescem em resposta ao estrogênio em circulação.
Sintomas
Os principais sintomas associados à presença dos pólipos são: sangramento anormal na pré-menopausa, sangramento após a menopausa (em ambas, usuárias e não usuárias de terapia hormonal),sangramento menstrual excessivo (menorragia), dor durante a menstruação (dismenorréia) e infertilidade
 
Diagnóstico dos pólipos endometriais ou uterinos

Os pólipos endometriais podem ser detectados por ultra-som vaginal (sonohisterografia), histeroscopia, e dilatação e curetagem. A detecção por ultra-sonografia pode ser difícil, particularmente quando há hiperplasia endometrial, que é o espessamento excessivo do endométrio.
Tratamento

Os pólipos endometriais ou uterinos podem ser removidos cirurgicamente usando curetagem ou histeroscopia. Quando é feita a curetagem, alguns pólipos podem não ser achados.
A  histeroscopia cirúrgica é um método seguro e eficaz no tratamento dos pólipos endometriais, com melhora do padrão de sangramento na grande maioria das pacientes.


Fatores de risco para pólipos endometriais ou uterinos

Os pólipos endometriais ou uterinos geralmente ocorrem em mulheres nos seus 40 e 50 anos. Fatores de risco incluem obesidade, pressão alta e histórico de pólipos cervicais. Terapia de reposição hormonal também eleva o risco de pólipos uterinos. Os pólipos endometriais ocorrem em até 10% das mulheres. Estima-se que pólipos endometriais ocorram em 25% das mulheres com sangramento vaginal anormal.
Embora sejam geralmente benignos, ocasionalmente um foco de malignidade pode ser encontrado em pólipos uterinos. As taxas de malignização dos pólipos endometriais são geralmente inferiores a 3%. Observou-se, entretanto, alta prevalência de pólipos endometriais em úteros com câncer endometrial (34%)(Peterson, 1985, Armenia, 1967).