Laparoscopia Transvaginal

O que é Laparoscopia Transvaginal?

A Laparoscopia Transvaginal é uma das modalidades do NOTES, do inglês “Natural Orifice Trasluminal Endoscopic Surgery” , ou simplesmente, Cirurgia Endoscópica por Orifícios Naturais.

Nesta modalidade de cirurgia minimamente invasiva utilizam-se orifícios naturais do corpo humano para conseguir entrar dentro do abdome.

Diversos centros em todo o mundo esão desenvolvendo tecnologias inovadoras para permitir entrar dentro da “barriga” causando o menor trauma possível e permitindo a recuperação mais rápida dos pacientes.

Algumas das opções ainda em desenvolvimento são entrar pelo estômago ou pelo reto.

No Brasil, a via vaginal é utilizada há muito tempo para a realização de diversos procedimentos ginecológicos (mioma, cisto de ovários e outros).

No passado chamou-se de culdoscopia a introdução de endoscopios pela via vaginal. Mais recentemente, diversos médicos vinham realizando um procedimento semelhante ao nosso que recebeu o nome de “fertiloscopia”. A fertiloscopia apesar de excelente para o diagnóstico de mulheres portadoras de infertilidades, tinha limitações de intrumental para realizar cirurgias e o tratamento das doenças aos mesmo tempo.

E agora, com o auxílio dos novos endoscopios, pode-se realizar diversas cirurgias quase que exclusivamente pela via vaginal, sem cortes.

Este procedimento chama-se: Laparoscopia Transvaginal.

Quais as diferenças da Laparoscopia Convencional e da Transvaginal?

Na Videolaparoscopia Convecional, alem do corte de 1 cm no umbigo para introdução da ótica e da câmer, realizam-se 3 pequenos cortes na parede da barriga para introduzir pequenas cânulas (parecidas com os canudinhos de beber refrigerantes) que servirão de guia para os instrumentos cirúrgicos.

Na Videolaparoscopia Transvaginal  tanto a ótica como os instumentos são introduzidos pela vagina. Faz-se apenas um pequeno orifício de 3 mm dentro do umbigo para introduzir uma pinça ou ótica.

Vale lembrar que nas duas técnicas utiliza-se a anestesia geral.

Quais as doenças que podem ser tratadas pela Laparoscopia Transvaginal?

Por se tratar apenas de uma adaptação da via de acesso da laparoscopia tradicional considera-se que as indicações são praticamente as mesmas.

Portanto, cisto de ovário, mioma uterino, infertilidade e dor pélvica permanecem as principais indicações para a utilização da Laparoscopia Transvaginal.

Em relação aos miomas ainda existem algumas limitações instrumentais e por isto recomendamos a via transvaginal para miomas de até 3 ou 4 cm no máximo.

Em relação a endometriose também considera-se uma contra-indicação para via transvaginal os casos de endometriose profunda com obstrução do fundo de saco posterior.

É possível fazer laqueadura (ligadura) das trompas com esta técnica?

Sim!!!

A relização da ligadura das trompas é uma as grandes indicações para a Laparoscopia Transvaginal pois é um procedimento muito rápido e preciso.

A recuperação das pacientes e o retorno às atividades profissionais e sociais também é reduzido.

E a Reversão da Laqueadura, pode ser feita pela nova técnica?

A reversão da laqueadura, em mulheres que desejam engravidar novamente pode ser feita tanto pela videolaparoscopia tradicional, como pela nova técnica de laparoscopia transvaginal.

Na nova técnica, os instrumentos são ainda menores e mais delicados para permitir a recanalização das trompas. Neste caso, utiliza-se a técnica híbrida, com alguns instrumentos introduzidos pelo umbigo, e o endoscópio pela via vaginal.

A Laparoscopia Transvaginal serve para Tratar Endometriose?

Sabemos que a Laparoscopia tradicional realizada pelo umbigo é o melhor método para o diagnóstico e tratamento da endometriose, independente do seu estágio.

Já a nova técnica da Laparoscopia Transvaginal só pode ser utilizada nos casos em que não há bloqueio do fundo de saco posterior (região que fica atrás do útero, entre o reto e o fundo da vagina).

Portando, nas mulheres com suspeita de endometriose, é indespensável a realização de um bom exame ginecológico e de exame complementares antes da cirurgia para escolher a melhor via: umbigo ou transvaginal.

Tenho Miomas: posso ser operada pela Laparoscopia Transvaginal?

Como já falamos anteriormente, a nova técnica da Laparoscopia Transvaginal foi uma grande evolção no tratamento de muitas doenças ginecológicas, no entanto, algumas limitações ainda existem quanto ao tamanho dos miomas.

Por esta razão, nas mulheres que querem realizar a retirada dos miomas preservando o útero (miomectomia), recomendamos a Laparoscopia Transvaginal apenas em miomas menores que 3-4 cm.

Nos miomas grandes, maiores que 4 cm, ainda preferimos utilizar a Laparoscopia Tradicional pelo umbigo.

Atualmente consideramos que não há limites no número,  ou tamanho dos miomas,  para indicar a realizaçao da cirurgia de miomectomia por videolaparoscopia. Tudo depende da experiência de cada cirurgião.

Deixe seu recado